Caso não consiga visualizar correctamente esta newsletter, clique aqui
logo
ESCRITÓRIOS EM
portugal   espanha   Brasil   Reino Unido   EUA   angola
icHoteis DICAS DE DESTINO
bannerPII
Zurique
Suíça
"Metrópole das experiências”, dos queijos e chocolates, dos relógios e canivetes, da arte e das compras. A cidade junto ao rio Limmat, na designada região do Mittelland, é a maior do país e uma das que mais prémios Nobel recebeu em todo o mundo.
 
Sugestões de hotéis
Stampfenbachstrasse
Hotel Bristol
Bahnhofstrasse
Hotel St. Gotthard
Schifflaende
Helmhaus Swiss Quality Hotel
Beethoven-Strasse
Park Hyatt Zurich
Lugares a visitar
Com vista para os Alpes e com a mais famosa estação ferroviária, situada no coração da cidade: Hauptbahnhof - a ligação ao Aeroporto é de 10 minutos -, Zurique é multicultural, sendo considerada o principal eixo central da Europa. Na avenida comercial, reinam as lojas de marcas internacionais, cafés, relojoarias e bancos e contribuem para que tal aconteça. Existem outros espaços que validam a reputação, como Zurique West ou Niederdorf. A Universidade de Zurique e o Instituto Federal Suíço de Tecnologia, (séc. XIX), já assim o ditavam, associando a cidade a um dos mais importantes pólos de negócios, ciência, informação e arte. Contam-se mais de 50 museus e 100 galerias de arte, desde o Museu Rietberg, com obras de arte não-europeias, especialmente da Índia, China e África; ao Museu Nacional Suíço, situado num edifício com mais de 100 anos que alberga a coleção completa da História cultural do país; passando pela Kunsthaus, galeria de arte onde encontra a coleção referente a todos os períodos importantes da arte europeia – desde a Idade Média até ao presente. O centro histórico está pleno de galerias, antiquários e livrarias, transformando-se, a partir das 23h, num bairro de entretenimento e oferta para todos os gostos, até de madrugada, tal como em Langstrasse. Vale também a pena, visitar os bairros de marinheiros e pescadores (Schipfe) e a ponte mais antiga da cidade (Rathaus-Brücke), perto da Câmara Municipal. Depois, atreva-se a deambular pelas ruas, onde a organização e civismo imperam, e a descobrir detalhes que farão a diferença, como o maior mostrador de relógio da Europa (séc. XVI) na Igreja de São Pedro (séc. XIII), a mais antiga da cidade, e onde, no interior, o barroco predomina. Nota para o elevado número de igrejas – destaque para a Fraumünster, fundada em 853 - que dominam a paisagem junto ao rio, onde barcos de cruzeiro o percorrem e, no verão, é possível ir a banhos ou, com sorte, assistir a um concerto. Subindo os 187 degraus da Grossmünster, que serviu de sede para a reforma protestante do séc. XVI, terá a melhor vista de Zurique. Para uma vista mais alargada e menos citadina, suba ao teleférico em Felsenegg.
Onde e o que comer?
Aqui encontra o verdadeiro conceito de gastronomia de fusão, pois não existe um estilo próprio mas influências de todo o mundo, com predominância para a italiana e asiática. No entanto, os típicos fondue de queijo (sobretudo no inverno), raclettes e o rost de vitela são incontornáveis. Os petiscos cervelat, brastwurst e kebabs são comuns nas ruas de Zurique. No Inverno, é obrigatório experimentar o famoso vinho quente com especiarias - Glühwein.

- Spaghetti Factory – Italiana, europeia, vegetariana - Schifflaende 6, Zurique 8001 - €12 - €24
- Papa Joe’s - Mexicana e americana - Schifflaende 18, Zurique 8001 - €13  - € 57
- Zeughauskeller (Excelência) - Alemã, suíça, europeia, Europa Central, vegetariana - Bahnhofstrasse 28a, Zurique 80001 - €18 - €32
- Pulcino - Italiana, mediterrânea, europeia, vegetariana - Niederdorfstrasse 7 | 8001 -  €21 - €84
- Quai 61 - Suíça, europeia, Europa Central, internacional, grill, contemporânea, vegetariana - Mythenquai 61 | 8002 Zürich - €49 - €94
Curiosidades
Na exposição mundial de Sevilha 1992, o país apresentou-se com o tema: “La Suisse n’existe pas”. Este mote é vinculativo pois não é a unidade mas sim a diversidade que carateriza a Suíça. Ora não fossem quatro os idiomas nacionais (alemão, francês, italiano e reto-romano), aos quais se somam os dialetos; ora o contraste de paisagens e estilos de vida, desde a montanha para a cidade, ou mais simplesmente a multiculturalidade. Aliás, a variedade cultural, tradicional e até de hábitos alimentares são tão díspares que os próprios suíços têm dificuldade em apontar pontos comuns entre si, dizendo-se que a nação foi formada de livre vontade, mesmo sem homogeneidade. E por falar em nação, diga-se que a Suíça tem menos tempo de existência que o Grupo Abreu (1840), com uma constituição a datar de 1848. Até ali vivia-se uma aliança de cantões independentes. Hoje é um estado federativo com uma democracia direta.
A diversidade torna-se mais uma vez evidente nos festivais que organizam e correspondem a todos os gostos. O Sechseläuten (abril) está dedicado à primavera; o Tropical Caliente (junho) à música latina; o Street Parade (agosto) é um dos maiores em música techno; e o festival de Zurique (junho e julho) combina óperas, concertos, teatro, dança e teatro ao ar livre.
80% da água consumida na Suíça provém de fontes naturais, águas subterrâneas e lagos, o que significa que pode beber água da torneira sem problema. Aliás, há até quem diga que em algumas zonas pode beber diretamente do lago. E como a água é essencial, pode contar 1224 fontes apenas em Zurique.
 
Recomendações
A cidade é plana pelo que aconselhamos que as visitas se façam a pé. Não sendo um clima intenso, nem demasiado frio, nem demasiado calor, é aconselhável calçado confortável, óculos e protetor solar no verão, e chapéu ou capa de chuva no inverno. Organização e pontualidade são palavras de ordem em Zurique e entre os suíços, pelo que será raro que haja atrasos nos transportes públicos e caso aconteça, provavelmente, será porque é inverno, quando são criadas maiores dificuldades no trânsito. Note que a rede de transportes é tida como uma das mais eficientes, seguras e limpas. Nos restaurantes as gorjetas já surgem incluídas no preço, mas não se acanhe em agradecer o serviço prestado porque eles agradecem o reconhecimento. Para fazer chamadas telefónicas pode adquirir o Taxcard, disponível nas lojas da Swisscom, correios e postos de gasolina. Desde 2010 que é proibido fumar em espaços fechados e tenha atenção onde deixa a beata quando terminar de fumar. Quem viaja para o país deve ter passaporte válido.
 
UTC | GMT +2h
Suíça  +41
Zurique  1
Franco suíço (CHF) | € 0.92
HelpDesk
RESERVAS | HELP-DESK
+351 21 010 2693
helpdesk@abreuonline.com
Emergencia
EMERGÊNCIA 24/7:
+351 96 173 8903
abreuonline.com
TAKING YOU GLOBALLY
Para deixar de receber esta newsletter, clique aqui